Auditório Agostinho da Silva

CEM SOLDOS

Coexistimos

8.AGO.2019 | 17:00 | DANÇA
Auditório Agostinho da Silva
2019-coexistimos-c-rafaeldacoster-xs

© Rafaël Dacoster

Coexistimos, de Inês Campos, é uma das propostas de espetáculos de dança este ano e trata-se de uma colagem de metáforas sobre o desafio de se ser tantos. Ser o tigre, o domador, o palhaço triste e o ataque de riso, viver vários corpos e ser a realidade dos seus sonhos. Uma experiência que aglomera dança, teatro, cinema, manipulação de objectos e artifícios variados que tentam criar uma sucessão de ilusões.

Danza Ricercata

9.AGO.2019 | 17:00 | DANÇA
Auditório Agostinho da Silva
2019-danzaricercata-xs

© DR

Em Danza Ricercata, de Tânia Carvalho, contrasta-se a ideia de improviso a que estamos habituados no que toca a dança com a ideia de movimentos coreografados que são exagerados ou reduzidos dependendo do que a música pede. Um piano, um compositor, uma música, uma pianista, uma coreógrafa, uma bailarina, uma dança.

Curtas em Flagrante

10.AGO.2019 | 15:00, 17:00 | CINEMA
Auditório Agostinho da Silva
BS19-IMG-BLUE-1

© DR

O cinema, o vídeo e a fotografia têm mais uma vez um papel importante em Cem Soldos. No 10.º aniversário do festival itinerante Curtas em Flagrante, dá-se o seu regresso ao BONS SONS com duas sessões de cinema onde são exibidas várias curtas-metragens para abrir novos horizontes.

Nem a própria ruína

11.AGO.2019 | 17:00 | DANÇA
Auditório Agostinho da Silva
2019-nemapropriaruina-c-josecaldeira-xs

© José Caldeira

Francisco Pinho, João Dinis Pinho e Dinis Santos propõem Nem a Própria Ruína , o primeiro espetáculo do trio nortenho e que tem como base o álbum de 1978 10.000 Anos Depois Entre Vénus e Marte de José Cid. Um espetáculo que se foca na efemeridade humana, no nosso desaparecimento e nos gestos e abraços que, na ruína, são as formas de nos salvar.

Lugares limitados à capacidade do Auditório.

— PARTILHA —